‘Ruth’ inspirado no folhetim pela contratação de Eusébio, estreia hoje

0

No início da guerra colonial, outra guerra abalava o país

No início da década de 60, apesar dos tumultos político-sociais, os habitantes de Lisboa e de Lourenço Marques só estão interessados num tema: “Afinal onde jogará Eusébio?” A primeira longa metragem de António Pinhão Botelho, ‘Ruth’, chega aos cinemas a 3 de maio, e conta o início da carreira de Eusébio e a forma como foi disputado entre o Sporting Clube de Portugal e o Sport Lisboa e Benfica.

Ruth foi o nome de código dado ao promissor futebolista por dois benfiquistas de Lourenço Marques, que o levaram de Moçambique para Portugal, para não despertar a atenção dos sportinguistas. Esta história, assinada pela jornalista Leonor Pinhão, foi transformada em filme para retratar o que se passou com Eusébio no início da década de 60.

No pior ano do regime fascista português, um jovem futebolista de Moçambique chega a Lisboa e é apanhado no meio da maior rivalidade clubística do país. Eusébio da Silva Ferreira, interpretado por Igor Regalla, começa o seu difícil trajeto até se transformar uma lenda.

‘Ruth’ conta no elenco com Fernando Luís, Álvaro Correia, Lídia Franco, Miguel Borges, Dinis Gomes, Vítor Norte, Ana Bustorff, Miguel Nunes, Maria Emília Correia, Rui Morisson, Anabela Moreira, José Raposo, Marco Delgado, Bruna Quintas, Teresa Madruga, Bruno Cabrerizo, António Nipita, António Simão, Josefina Massango, Luís Lucas, Marcello Urgeghe, entre muitos outros.

O realizador António Pinhão Botelho frisa que ‘Ruth’ “não é sobre futebol, nem sobre o Benfica ou Sporting. O filme é sobre uma pessoa, um país, uma época. Portugal em 1961: o ano horrível de Salazar”.

Sinopse

‘Ruth’ é um retrato da sociedade portuguesa metropolitana e ultramarina no início da década de 60. Portugal foi o último império colonial a colapsar. É também a história de um mito do futebol, em todo o mundo: Eusébio.

No pior ano do regime fascista português, 1960, um jovem futebolista africano de Moçambique chega a Lisboa e é apanhado no meio da maior rivalidade clubística do país. Enquanto os ventos da mudança começam a soprar através da guerra, pirataria e outros acontecimentos históricos, Eusébio da Silva Ferreira começa o seu difícil trajeto até se transformar naquilo que é: uma lenda.

Artigos Relacionados

Sê o(a) primeiro(a) a comentar

Veja também

bebé

Sem anonimato deixará de haver dadores

A Presidente da Associação Portuguesa de Fertilidade, Cláudia Vieira, ainda está incrédula com o chumbo de algumas normas da lei da Gestação de Substituição. E ...