Radiografia de um nevoeiro imperturbável

0
ctalmada

Radiografia de um nevoeiro imperturbável, uma co-produção do Teatro do Vão com o Teatro Nacional D. Maria II, vai estar em cena na Sala Experimental do Teatro Municipal Joaquim Benite, nos dias 20 e 21 de Março, sexta-feira e sábado, às 21:30 horas.

O espectáculo partiu de Príncipe Bão, de Fernando Augusto, e tem encenação de Daniel Gorjão.

“É a história de amor de D. Sebastião por Luís da Silva, um pajem”, de acordo com Daniel Gorjão, cujo trabalho de encenação dá particular importância ao corpo e ao movimento.

“Teatro coreografado” é, aliás, uma expressão habitualmente utilizada para descrever este espectáculo do Teatro do Vão. O dispositivo cenográfico permite aos espectadores assistir ao espectáculo de diferentes ângulos, para que “nos encaremos como aquilo que somos”.

Fernando Augusto (1947-2003) foi dramaturgo, encenador e professor. Das suas peças destacam-se Solário(Prémio Eça de Queiroz 1992), Príncipe Bão (Prémio Baltazar Dias 1995), Pastéis de nata para a avó (Prémio do Concurso Dramatúrgico Nacional A Barraca) e A última batalha (Grande Prémio de Teatro SPA/Novo Grupo), todas elas levadas à cena.

Daniel Gorjão (n. 1984) frequentou o curso de Formação de Actores da Universidade Moderna e a ESTC. A partir de 2003 integrou produções do Teatro Politeama, onde foi dirigido por Filipe La Féria. Em 2010 criou e dirigiu Um dia dancei só um dia dancei, com o qual venceu o prémio Emergentes (TNDMII /Festival de Almada). Fundou o Teatro do Vão em 2012, do qual é director artístico.

Intérpretes: André Patrício, Cátia Terrinca, João Duarte Costa, João Villas-Boas, Miguel Raposo, Teresa Tavarese Ana Rita Rosa, André Delgado, Fernanda Azougado, Filipe Freitas, Inês Cruz e João Reis.

Artigos Relacionados

Sê o(a) primeiro(a) a comentar

Veja também