Páscoa é chocolate… Mitos e as verdades do chocolate

0
ACHOC/Atrevia

Alimento saboroso e estimulante, o chocolate está presente diariamente na vida de todas as pessoas. Na escolha, as opções são incontáveis. Chocolate ‘negro’, de leite, branco, com frutos secos, com recheio, (…), tudo depende do gosto pessoal de cada um e da vontade do instante. A Páscoa é só um desses momentos em que o chocolate marca presença segura e que fazem o consumo disparar.

Inicialmente reservado às altas hierarquias e consumido em momentos especiais e festividades religiosas, o chocolate é ainda hoje usado como a doce oferta que qualquer pessoa quer receber nas efemérides da Páscoa e Natal, ou em momentos comemorativos, tais como no aniversário ou no dia dos namorados. A verdade, é que o chocolate é muito mais do que uma gratificação. De características energéticas, estimulantes e revitalizantes, eficiente no combate ao cansaço, o chocolate pode ser consumido a qualquer hora, sempre com moderação e de acordo com o tipo de vida e rotina de cada pessoa, sendo inclusive um fator favorável na dieta alimentar.
Quanto às verdades que se ouvem sobre o chocolate, confirma-se o seu importante papel na construção bom humor e na melhoraria a concentração.

Já nos mitos, muito há a dizer. Quanto à acne, o seu aparecimento ou agravamento não é suportado pela evidência científica, tal como acontece com o aparecimento de caries.  O chocolate é fonte natural de proteínas, cálcio (principalmente se for chocolate de leite) e fósforo, minerais potencialmente protetores do esmalte dentário. Já relativamente ao colesterol, estudos científicos demonstram que a gordura presente no chocolate não aumenta os níveis de colesterol. Pelo contrário, os antioxidantes presentes em teores significativos no chocolate preto, podem ajudar a diminuir o risco de doenças cardiovasculares. O chocolate pode ser nutricionalmente complexo e relevante para o organismo e quanto a engordar… todos os alimentos à exceção da água, alface e agrião têm valor energético considerável, e quando ingeridos em quantidades desadequadas para as necessidades de cada um, irão criar um saldo calórico positivo e consequentemente levar a um aumento do peso corporal. Assim, o chocolate pode fazer parte da alimentação diária, desde que na quantidade ideal. Pode, por isso, ser uma forma de ajudar a cumprir uma alimentação mais equilibrada e saudável, desde que integrado num estilo de vida ativo.

Os formatos existentes no mercado e os sabores incorporados são bastante variados, mas todos asseguram um resultado nutritivo positivo e muito agradável, permitindo que este alimento dos deuses seja degustado em qualquer fase do dia.

Tendo como base o cacau, que é um produto natural, de origem vegetal, muito nutritivo e com inúmeros benefícios para a saúde, o chocolate pode complementar uma refeição ou quebrar o apetite nos intervalos das refeições principais.

A sensação de prazer quando se come chocolate, é responsabilidade do triptofano que aumenta a produção de serotonina, um neurotransmissor, tendo por isso um efeito positivo na melhoria do bem-estar.

Já os polifenóis ajudam a prevenir e combater uma série de doenças, entre elas as cardiovasculares, uma vez que contribuem para melhorar a saúde das artérias e do coração.

Os benefícios são inúmeros, desde alimentares, psicológicos e estéticos. O importante é ter vontade de comer e experienciar os estímulos dos sentidos, assim que se deixar derreter o chocolate na boca e permitir-se usufruir das sensações de prazer e bem-estar.

Por isso, como vê, não precisa de arranjar desculpas.

Artigos Relacionados

Sê o(a) primeiro(a) a comentar

Veja também