Eros Porto explica tudo sobre tatuagem mamária reconstrutiva

1
Xusenru/ pixabay

▪ Depois de uma mastectomia, sabia que a tatuagem pode ajudar a devolver à mama a beleza original e a melhorar a auto-estima das mulheres?

▪ Esse é o objetivo de “Tatuagem Mamária Reconstrutiva”, um projeto inovador lançado por um tatuador e uma enfermeira portugueses.

▪ O projeto vai estar presente e integra a componente educativa e de sensibilização do X Eros Porto – Salão Erótico do Porto, a par das questões da sexualidade e do VIH/SIDA.

Sérgio Carvalho é tatuador há mais de 20 anos e há cerca de 10 começou a utilizar a tatuagem para ajudar mulheres mastectomizadas a quem o cancro deixou marcas. Recentemente, em conjunto com a enfermeira Ana Lopes, lançou o projeto “Tatuagem Mamária Reconstrutiva”.

Para sensibilizar as mulheres e explicar como se realiza o processo, o projeto vai estar no Eros Porto – Salão Erótico do Porto, integrado nos conteúdos educativos do certame, que abrangem ainda diversos temas da sexualidade e o do VIH/SIDA.

Segundo conta Sérgio Carvalho, do estúdio Wildbuddhatattoo, de Matosinhos, “tudo começou numa conversa com um amigo, o cirurgião plástico Francisco Campos, entretanto falecido, que desejava um projeto novo para lidar com as cicatrizes da mastectomia”. Em conjunto, “tentamos tapar cicatrizes e obtivemos bons resultados”. A partir daí foi um passo para os médicos começarem a aconselhar o processo às pacientes como finalização do processo de tratamento contra o cancro da mama.

Uma em cada 11 mulheres em Portugal vai ter cancro da mama ao longo da vida, segundo o documento “Causas de morte em Portugal e Desafios na Prevenção – Acta Médica Portuguesa Março/Abril 2012”. Trata-se do tipo de carcinoma com maior taxa de incidência em Portugal, com mais de seis mil novos casos a cada ano, um número com tendência crescente. Cerca de 1500 portuguesas morrem anualmente vítimas de cancro da mama, a principal causa de morte precoce (antes dos 70 anos) na população feminina.

Pigmentação com recurso à tatuagem

De acordo com Ana Lopes, enfermeira com experiência no acompanhamento de mulheres mastectomizadas, “após o diagnóstico e tratamento, é afinada a estética mamária com a recriação da região areolomamilar. Nem sempre a aréola e mamilo são preservados na mastectomia. De forma geral, o mamilo é reconstruído com pele do próprio local e a aréola com enxerto de pele da região inguinal. No final, a pigmentação da aréola é realizada com recurso à tatuagem”.

A tatuagem é assim aqui entendida como finalização do processo e de melhoria da auto-estima, mantendo a simetria e estética da mama, e é sempre realizada na máxima privacidade. “Quando faço este tipo de trabalho, tenho consciência que não estou a tatuar um cliente comum, mas sim alguém especial, mulheres a quem chamo de “guerreiras”. Sei que passaram por muitas cirurgias, que se encontram muito afetadas e na última fase de um longo processo”, explica o tatuador que diz sentir-se “importante” quando, depois da tatuagem, sente o sorriso, as lágrimas e o abraço destas mulheres.

Para Ana Lopes, “a tatuagem mamária reconstrutiva deveria mesmo ser comparticipada pelo Serviço Nacional de Saúde porque em termos de auto-estima é o último passo. Deveria constar do planeamento de tratamentos e encerramento do processo”.

O Eros Porto 2017

O Eros Porto – Salão Erótico do Porto, que se realiza de 9 a 12 de março, na Exponor, é o maior evento erótico português e um dos maiores da Península Ibérica e Europa. Em destaque estão as mais recentes tendências e novidades, nacionais e internacionais, das áreas do erotismo e da sexualidade, não só em termos de práticas sexuais, produtos e serviços, como também de espetáculos e de artistas.

Neste certame, que conta com diversas áreas como Porno Educativo, Estúdio de TV em Direto, Zona VIP, Swinger, Extasia, HotGay, BDSM, Aula e Arte, para além de inúmeras atividades dirigidas às mulheres, participam mais de 130 artistas nacionais e internacionais, provenientes de vários países, com destaque para Portugal, Espanha, Itália e Hungria. Todos os protagonistas, entre atrizes, strippers, pole dancers, drag queens e transformistas, podem ser vistos em 14 palcos e áreas privadas em espetáculos contínuos.

Artigos Relacionados

1 comentários

Veja também