Play — Prémios da Música Portuguesa: revelados os 50 nomeados da 6.ª edição

0

Pedro Mafama e Slow J são os artistas com mais nomeações, seguidos de Bárbara Bandeira, Carminho, Expresso Transatlântico, Ivandro e T-Rex. Inês Lopes Gonçalves foi a apresentadora escolhida para dividir o palco com Filomena Cautela nesta 6ª cerimónia da entrega de prémios, a qual vai decorrer a 16 de maio.

Foram hoje revelados em conferência de imprensa no Coliseu dos Recreios os 50 nomeados da 6.ª edição dos PLAY – Prémios da Música Portuguesa e
também quem se vai juntar a Filomena Cautela na apresentação da cerimónia de entrega de prémios: Inês Lopes Gonçalves. A gala vai decorrer a 16 de maio, no mesmo espaço, e será transmitida em direto pela RTP1, RTP África, RTP Internacional, RTP Play e Antena1.

Dentro das 12 categorias sujeitas a nomeação, Pedro Mafama e Slow J lideram, com três indicações, seguidos de Bárbara Bandeira, Carminho, Expresso Transatlântico, Ivandro e T-Rex, artistas que contam, respetivamente, com duas propostas a prémio.

As nomeações nas categorias Vodafone Canção do Ano, Melhor Artista
Feminina, Melhor Artista Masculino, Melhor Grupo e Melhor Álbum são
escolhidas pela Academia PLAY — constituída por 235 profissionais ligados à indústria musical (agentes, managers, artistas, produtores, promotores de
espetáculos, técnicos e jornalistas) — mediante uma lista de 30+, a qual tem por base critérios volumétricos de vendas e airplay de rádio relativos a 2023.

De salientar que as categorias Melhor Álbum Fado, Artista Revelação, Prémio Música Ligeira e Popular (pela primeira vez a concurso), Prémio Lusofonia, Melhor Videoclipe, Melhor Álbum Jazz e Melhor Álbum de Música Clássica/Erudita foram sujeitas a candidaturas por parte de artistas e editoras, sendo que, nesta edição, a organização recebeu 842, um número recorde, com um aumento de 57% em relação a 2023 (537).

A escolha dos nomeados destas últimas sete categorias — exceto Artista
Revelação e Prémio Lusofonia (os nomeados são escolhidos pela Academia) — está a cargo de comités especializados, mercê das características específicas necessárias para análise das obras.

Às 12 categorias já referidas, somar-se-ão mais duas (14 no total), cujos nomes vão ser divulgados na gala de maio: Prémio Carreira, atribuído pelos promotores.

“Os nomeados são os verdadeiros vencedores e funcionam como uma pequena montra do melhor que se produz em Portugal. Nesta edição, destaco que vamos ter pela primeira vez a categoria de Música Ligeira e Popular, sinal de que pretendemos celebrar a música portuguesa no seu todo, integrando o maior número possível de géneros musicais”, comenta Paulo Carvalho, diretor-geral do evento.

Inês Lopes Gonçalves — que nas duas primeiras edições já fez dupla com Filomena Cautela — é mais um nome de peso que se associa a esta cerimónia, a qual vai contar ainda com dois repórteres digitais na
passadeira vermelha: Alexandre Guimarães e Catarina Moreira.

Lista Completa dos Nomeados

Vodafone Canção do Ano

“Chakras” — Ivandro feat. Julinho KSD
“Chamada Não Atendida” — Bárbara Tinoco
“Como Tu” — Bárbara Bandeira feat. Ivandro
“Maria Joana” — Nuno Ribeiro, Calema, Mariza
“Preço Certo” — Pedro Mafama
“Where U @” – Slow J

Melhor Artista Feminina

A Garota Não
Ana Moura
Bárbara Bandeira
Carminho

Melhor Artista Masculino

Ivandro
Pedro Mafama
Slow J
T-Rex

Melhor Grupo

Calema
D.A.M.A
Os Quatro e Meia
Wet Bed Gang

Melhor Álbum

“Afro Fado” — Slow J
“COR D’ÁGUA” — T-Rex
“Portuguesa” — Carminho
“VIDA” — Jorge Palma

Melhor Álbum Fado

“Bela Ensemble” — Bela Ensemble
“Mãe” — Cristina Branco
“O Abraço da Guitarra” — António Chainho
“Terra que Vale o Céu” — Ricardo Ribeiro

Artista Revelação

Ana Lua Caiano
Expresso Transatlântico
JÜRA
LEO2745

Prémio Música Ligeira e Popular

“Meu coração de cowboy apaixonado” — Zé Amaro
“Recomeçar” — Sons do Minho
“Sapato Apertado” — Bandalusa
“Vamos ò Baile” — José Malhoa

Prémio Lusofonia

“Chico” — Luísa Sonza
“Conexões de Máfia” — Matuê feat Rich The Kid
“perfeita” — Giulia Be
“Tá OK” — DENNIS, MC Kevin o Chris

Melhor Videoclipe

“Escura Noite” — Peculiar, realizado por Maria Beatriz Castelo
“Estrada” — Pedro Mafama, realizado por André Caniços
“Fim do Nada” — Mizzy Miles feat T-Rex & Zara G, realizado por XZ
“Ressaca Bailada” — Expresso Transatlântico, realizado por Sebastião Varela

Melhor Álbum Jazz

“Chromosome” — Mário Costa
“Hexagon” — Axes
“Playing with Beethoven” — Carlos Bica
“The River” — João Paulo Esteves da Silva Trio

Melhor Álbum Música Clássica Erudita

“Celebrando Nella Maíssa, Helena Sá e Costa & Olga Prats” — Trio de Damas
“Folia Nova” — Sete Lágrimas
“LAMENTOS” — António Pinho Vargas
“Windsor Project” — Ricardo Pires

//Flagra

Artigos Relacionados

Sê o(a) primeiro(a) a comentar

Veja também

Stëh lança “Power Of Silence”

A produtora Stëh mostra a sua autenticidade em “Power Of Silence” e anuncia também a sua próxima agenda com presença em alguns dos maiores festivais ...