Regras para uma boa candidatura de emprego em 2020

0

O ano 2020 será dos mais desafiantes para os candidatos e para as próprias empresas e departamentos de Recursos Humanos. A pensar nisso a Adecco reuniu algumas regras básicas que o ajudarão a aproveitar o momento para preparar o seu CV, a sua carta de apresentação, a entrevista e a presença digital. Ao procurar um emprego, acertar no tom da sua carta de apresentação e no conteúdo do seu currículo para destacar-se nas redes sociais, pode dar uma ótima primeira impressão e ser o fator decisivo que poderá proporcionar uma entrevista.
 
Os empregadores investem uma média de seis segundos a ler um currículo, e por isso não há muito tempo para chamar a atenção. O currículo é a forma como se apresenta a potenciais empregadores e deve resumir as competências e as experiências que o diferenciam de outros candidatos. As redes sociais devem sustentar a sua imagem de forma transparente e positiva e a entrevista de trabalho deverá ser sempre preparada.  Conheça as principais recomendações para os três momentos decisivos num processo de candidatura.

O primeiro momento: o curriculum e carta de apresentação:

  1. Apresente-se.  O CV e a Carta de Motivação são o primeiro contacto do candidato com a empresa.  Ambos os documentos devem funcionar como uma ferramenta de marketing pessoal. A carta de motivação deve resumir as principais características (o que tem para oferecer), a razão da motivação para trabalhar na empresa a que é candidato e o valor que poderá agregar. Em suma, a carta de motivação deve conseguir responder à pergunta “porque devo contratar esta pessoa”.
  2. Crie Impacto. Deve criar a “sua marca”, ou seja, compreender o que é único em si – pontos fortes, competências, valores e paixões – e usá-los para se diferenciar. Quando um recrutador observa um CV procura um design simples, de fácil leitura, com layouts apelativos, ou seja, é importante que o recrutador perceba que o candidato investiu tempo e dedicação na elaboração do CV. Evite diferentes tonalidades de cores e padrões, diferentes tipos de letra, erros ortográficos e a foto colocada deve ser o mais profissional e corporativa possível (se tal não for possível é preferível não colocar foto).
  3. Seja Objetivo. O CV deve ser simples, objetivo e claro. Deve evitar-se a quantidade exacerbada de dados pessoais e constar apenas os essenciais como nome, email, telemóvel, localidade e ou outro que faça sentido.  O percurso académico descrito deve ser sucinto realçando o nome do curso, a faculdade e o ano, podendo ainda mencionar duas ou três cadeiras que queira destacar por serem relevantes para a vaga em questão. Se tem experiência profissional, apresente-a de forma sintetizada indicando sempre as funções exercidas. Lembre-se que deve evitar informação que em nada vai contribuir para a vaga em questão.

O segundo momento: a entrevista de emprego

  1. Valorize-se. É o momento certo para demonstrar que é o candidato ideal! Organize o seu discurso de forma clara e estruturada para que as suas competências sejam valorizadas. Prepare-se para dizer quais os seus pontos fortes e pontos de melhoria, assim como os argumentos que utilizará para defendê-los. É também importante que conheça bem a informação que colocou no seu CV para que possa aprofundar os aspetos focados pelo entrevistador.
  2. Mostre interesse. Obtenha o máximo de informações sobre a empresa (ramo de atividade, dimensão, tipo de produtos / serviços, etc.) e sinta-se à vontade para questionar o entrevistador caso tenha dúvidas relativamente ao processo. Demonstre satisfação pela oportunidade que foi dada e mantenha contato com o entrevistador, mesmo não sendo o candidato selecionado poderão existir novos desafios para si.
  3. Não falhe no básico. A primeira impressão conta sempre. Cuide da sua imagem e adeque o seu vestuário à função pretendida. Seja pontual. Saia de casa com tempo, os imprevistos acontecem. Tenha atenção à sua postura, demonstre humildade e confiança. No caso das entrevistas por vídeo conferência, garanta que o seu software está a funcionar (faça um teste com um amigo), mantenha a mesma imagem que teria numa entrevista presencial, e escolha um local com boa iluminação e com o mínimo de ruído visual nas suas costas.

O terceiro momento: a presença nas redes sociais

  1. Faça-se ouvir. As redes sociais são cada vez mais utilizadas pelas empresas na procura de novos talentos. Nesse sentido, é fundamental criar perfis atualizados em plataformas que permitam impulsionar o seu sucesso no mercado de trabalho. Recorra às redes sociais como Facebook, Linkedin e Instagram pois estas são as ferramentas mais apelativas que proporcionam uma ligação com as empresas, facilitando a comunicação entre ambos. Crie currículos mais dinâmicos e mais apelativos, por exemplo através de um vídeo curto ou documentos visualmente dinâmicos.
  2. Relacione-se. Estabeleça networking entre profissionais das suas áreas de interesse e de atuação. É muito importante ter referências. Estas poderão advir de ações de voluntariado, estágios ou projetos de determinado âmbito no qual faça parte. Esta rede de conhecimentos pode ser a sua chave de entrada no mundo empresarial.
  3. Mostre a sua marca. Deve partilhar com alguma regularidade os projetos nos quais está envolvido expressando opiniões e críticas construtivas, de modo a dar a conhecer às empresas as suas opiniões, forma de ser e de estar na vida. Evite publicações pouco profissionais, o correto será partilhar boas práticas e condutas que possam ir ao encontro das políticas das empresas.

//Flagra

Artigos Relacionados

Sê o(a) primeiro(a) a comentar

Veja também

Fátima Lopes denuncia fraude

Apresentadora viu a sua imagem associada a publicidade sem o seu consentimento À semelhança de outras figuras públicas que viram a sua imagem inadvertidamente associada ...